Sports

Roma de Mourinho empata e está nos quartos de final da Conference League

Além da qualificação “arrancada a ferros” da Roma, eliminando o Vitesse, destaque para a eliminação de outra equipa neerlandesa, o AZ Alkmaar, “aos pés” dos noruegueses do Bodo/Glimt, que tinham vencido na primeira mão por 2-1, na Noruega.

A Roma, treinada por José Mourinho, apurou-se esta quinta-feira para os quartos de closing da Convention League, ao empatar 1-1 com os neerlandeses do Vitesse, golo marcado já no período de compensações, aos 90+1 minutos.

Depois de ter vencido nos Países Baixos por 1-0, não period expectável que a Roma, a jogar no estádio Olímpico, sentisse tantas dificuldades para levar de vencida o sexto classificado do campeonato neerlandês, mas esteve na iminência de ser eliminada.

Com efeito, o golo que valeu a passagem aos “quartos” surgiu aos 90+1 minutos, quando o prolongamento parecia incontornável, mas uma cabeçada de Tammy Abraham, assistido pelo lateral-direito Rick Karsdorp, de nacionalidade neerlandesa, manteve a Roma na fase seguinte da prova.

O Vitesse chegou ao golo aos 62 minutos, pelo lateral-esquerdo Maximilian Wittek, e foi a equipa que teve mais domínio e controlo do jogo, com 63 por cento de posse de bola contra 37 da Roma, a despeito de a equipa italiana precisar de marcar na última meia hora para evitar a eliminação.

Além da qualificação “arrancada a ferros” da Roma, destaque para a eliminação de outra equipa neerlandesa, o AZ Alkmaar, “aos pés” dos noruegueses do Bodo/Glimt, que tinham vencido na primeira mão por 2-1, na Noruega.

O AZ foi o primeiro a marcar, aos 18 minutos, pelo avançado grego Vangelis Pavlidis, mas o Bodo/Glimt empatou aos 26, pelo médio Amahl Pellegrino, antes de o mesmo Pavlidis “bisar”, aos 30, e anular a vantagem trazida pelos noruegueses da primeira mão.

A qualificação do Bodo/Glimt consumou-se no prolongamento, com um golo do central islandês Alfons Sampsted, aos 105+1, contrariando o favoritismo que period atribuído à equipa neerlandesa.

Destino diferente teve o PSV Eindhoven, que foi à Dinamarca golear o FC Copenhagen, por 4-0, depois do surpreendente 4-4 registado na primeira mão, um êxito que cedo se “desenhou” com dois golos antes do intervalo, pelo avançado israelita Eran Zahavi e pelo médio alemão Mário Gotze, aos 10 e 38 minutos.

Zahavi “bisou”, aos 79 minutos, cabendo ao jovem inglês Noni Madueke fechar o resultado, aos 90+1, assistido pelo português Bruma, que tinha sido lançado em campo um minuto antes a render o médio mexicano Erick Gutierrez.

A última das quatro equipas neerlandesas na LCE, o Feyenoord, voltou a vencer o Partizan por 2-1, depois da goleada por 5-2 na primeira mão, num jogo para cumprir calendário, enquanto o Slavia de Praga, que perdeu na Áustria, com o LASK Linz, por 4-3, sofrendo dois golos nos últimos minutos, aos 88 e 89, teve sempre a eliminatória segura, depois do 4-1 registado na capital checa.

Mais difícil revelou-se o apuramento dos ingleses do Leicester, derrotados hoje em França pelo Rennes, por 2-1, mas a vantagem trazida da primeira mão (2-0) foi suficiente para assegurarem uma vaga nos quartos de closing.

O Marselha foi a Basileia repetir o resultado da primeira mão, ao vencer por 2-1, mas só no último quarto de hora é que virou o resultado, com golos do médio turco Cengiz Beneath, aos 74, e do médio Valentin Rongier, aos 90+3, depois de ter estado a perder desde o minuto 63, devido a um golo do médio Dan NDoye.

Finalmente, os gregos do PAOK foram à Bélgica, vencer por 2-1 o Gent, depois de trazerem uma vantagem de 1-0 da primeira mão, e estão apurados para os quartos de closing.



Supply hyperlink

Leave a Reply

Your email address will not be published.