Business

Pestana Hotel e dstgroup priorizam recursos humanos – O Jornal Económico


“Quando existe o ‘match’ entre os valores da empresa e os valores dos trabalhadores tornamo-nos mais capazes de conciliar a vida pessoal e profissional de cada um, sendo este um dos atributos mais ponderados e valorizados pelas novas gerações”. Quem o diz ao Jornal Económico é José Machado, diretor de Recursos Humanos do dstgroup. O grupo empresarial de engenharia e construção de Braga entende que deve “surfar” nesta onda, pois quem não o fizer, não será lembrado.

Em janeiro, o grupo que emprega 2.300 pessoas, subiu o “seu” salário mínimo para 740 euros, mais 35 euros do que o estabelecido por Lei. A medida foi apresentada como forma de combater a precariedade laboral e contribuir para o cumprimento das diretrizes europeias no que toca a condições de trabalho e dignidade social.

É nestes valores que, segundo o dstgroup, assentam as suas políticas sociais, que têm nas instalações do grupo em Braga o verdadeiro ex-libris. O campus cobre um milhão e 200 mil m2 e nele há uma biblioteca com milhares de obras literárias, dois campos de futebol, um campo de ténis, um circuito de manutenção, diversos espaços de descanso e lazer, nomeadamente spots artísticos que convidam à meditação, à contemplação e à leitura. Também existe um restaurante com quatro refeições variadas por dia e até uma discoteca onde os colaboradores podem usufruir de momentos de descompressão e lazer.

Além de toda esta infraestrutura, José Machado salienta a existência de um conjunto de benefícios totalmente gratuitos. Do vasto enumerado destacamos um: o centro de Saúde Vânia Xisto, com acompanhamento “full-time” de um médico e um enfermeiro no âmbito da medicina curativa e medicina geral, medicina dentária. Também oferece consultas de psicologia totalmente gratuitas para todos os trabalhadores, o que é de grande pertinência à saída do pós-pandemia com as questões de saúde psychological a dar sinais de si.

Na hotelaria, o maior grupo nacional, o Pestana Resort Group também diz cuidar bem das “suas” pessoas. “Os recursos humanos têm sido sempre uma prioridade para o grupo e, seguramente, uma das razões para a sua solidez e crescimento”, afirma José Theotónio, CEO do grupo, ao Jornal Económico. “O Pestana Hotel Group vai continuar a apostar na formação e desenvolvimento dos seus colaboradores bem como na área da saúde e bem estar”, adianta.

O grupo hoteleiro fixou recentemente o valor mínimo de entrada do salário em 750 euros brutos mensais. No âmbito da sua política de responsabilidade social e de compromisso com os critérios ESG (sigla de Environmental, Social and Company Governance), o CEO destaca o lançamento no início deste ano de “um projeto que visa ter um plano de ação concreto para reduzir as emissões de CO2 que já medidas nos põem num patamar muito bom na indústria, mas que queremos continuar a melhorar”.

Em 2022, adianta José Theotónio, será reforçado o investimento na formação com acesso a iniciativas regulares de aprendizagem, partilha de conhecimento e programas de desenvolvimento que apoiam a progressão de carreira. No campo do bem estar, o grupo oferece seguro de saúde, consultas e apoio psicológico gratuito a todos os que trabalham na casa.

“Este pacote de benefícios que temos vindo a desenvolver para todos os nossos colaboradores inscreve-se numa cultura muito forte de confiança e de compromisso para com as pessoas que escolheram trabalhar e crescer connosco”, salienta José Teotónio, rematando: “as pessoas são o nosso maior investimento”.





Supply hyperlink

Leave a Reply

Your email address will not be published.